Portal Livramento

Portal Livramento

MPF apura se há irregularidade em auxílio emergencial pago a Abner Pinheiro

Quarta 20 Mai 2020 - 07h49




MPF apura se há irregularidade em auxílio emergencial pago a Abner Pinheiro

Adepto a um estilo de vida de ostentação e com mais de 2 milhões de seguidores nas redes sociais, o influencer baiano Abner Pinheiro teve a solicitação de auxílio emergencial aprovada. O fato, relatado por ele mesmo em seu perfil no Instagram, gerou críticas de internautas e motivou uma apuração do Ministério Público Federal (MPF) sobre possíveis irregularidades no pagamento.

No vídeo, o próprio Abner reconhece que não precisava da quantia e que, assim que estiver com o valor em mãos, pensa em comprar cestas básicas para realizar doações. “Eu vou pegar esse dinheiro e converter em cestas básicas. Acho que tem muita gente precisando muito mais que eu. Para continuar aquela obra que comecei no meu bairro, não foi suficiente. Eu ajudei, mas tem muita gente precisada”, disse.

Na gravação, que consta o print do sistema que mostra “Situação: Aprovada”, Pinheiro também afirmou que desconhece como vai obter o dinheiro. “Nem sei como funciona, nem sei como tenho acesso a esse dinheiro. Vou me informar direitinho, mas acho que é uma boa”, completou.

Internautas reprovaram a iniciativa do influencer em fazer a inscrição. Como tem sido noticiado, há ainda brasileiros que sofreram impactos severos na renda mensal que não tiveram o auxílio aprovado. Abner, por sua vez, não entrou em detalhes sobre em qual critério ele teria sido enquadrado para o recebimento da quantia.

“Deveria ter vergonha, tanta gente precisando, pais e mães de família sendo humilhados para pegar esse auxílio em filas passando noites, aí vem você dizendo, que nada! Se você se inscreveu [é] porque esperava sim, seja mais coerente, bom samaritano”, disse um internauta.

“Aí quem tá em análise até março, meu caso, não recebe. Beleza que vai ser um ato bom, mas para quem tá desempregada e [com] filho pequeno não recebe. Ele não tinha necessidade de se inscrever. Minha opinião”, disse outro.

Tiveram seguidores que cogitaram que o digital influencer fez o pedido e posteriormente o vídeo como ato de projetar a si mesmo: “Se ele queria ajudar o próximo, tirasse esse dinheiro da carteira dele, não de uma pessoa que realmente precisa dos 600 reais. Ele faz isso pra aparecer, isso sim”.

CÓDIGO PENAL
A situação envolvendo o digital influencer, caso não seja comprovado perfil e critérios para o recebimento do auxílio, poderá ser enquadrado como estelionato, como consta o artigo 171 do Código Penal que diz respeito a “obter, para si ou para outrem, vantagem ilícita, em prejuízo alheio, induzindo ou mantendo alguém em erro, mediante artifício, ardil, ou qualquer outro meio fraudulento”.

De acordo com o parágrafo terceiro do artigo 171, “a pena aumenta-se de um terço, se o crime é cometido em detrimento de entidade de direito público ou de instituto de economia popular, assistência social ou beneficência”.

 

Fonte - BN

 

Comentários

Nenhum comentário, seja o primeiro a enviar.