Portal Livramento

Portal Livramento

LIVRAMENTO: OAB PROMOVEU CAFÉ DA MANHÃ EM COMEMORAÇÃO AO DIA DO ADVOGADO

Quarta 14 Ago 2019 - 10h27




LIVRAMENTO: OAB PROMOVEU CAFÉ DA MANHÃ EM COMEMORAÇÃO AO DIA DO ADVOGADO

A Ordem dos Advogados do Brasil, Subseção de Brumado, promoveu no Fórum Elemar Klinger Spínola, da Comarca de Livramento de Nossa Senhora, na manhã desta quarta-feira (14), café da manhã em comemoração ao Dia dos Advogados, 11 de agosto. Compareceram ao evento advogados e advogadas, servetuários da justiça e do Cejusc, além do Juiz da Vara Criminal Dr. João Lemos Rodrigues. O Delegado da OAB/Livramento, Dr. Guto Rodrigues Tanajura expressou contentamento com a presença de todos, ressaltando o clima de harmonia e descontração.

Eletrobras tem lucro de R$ 5,5 bilhões no segundo trimestre

Terça 13 Ago 2019 - 10h41




Eletrobras tem lucro de R$ 5,5 bilhões no segundo trimestre

A Centrais Elétricas Brasileiras S.A (Eletrobras) teve um lucro líquido de R$ 5,5 bilhões no segundo trimestre de 2019, resultado 305% maior do que o R$ 1,3 bilhão registrado no mesmo período do ano passado.

O valor se refere à soma do lucro líquido das operações continuadas, de R$ 301 milhões, e do lucro líquido de R$ 5,2 bilhões decorrente da privatização da Amazonas Energia. Os dados foram divulgados na noite de ontem (12) pela estatal.

O crescimento da receita operacional líquida foi 12% na comparação anual entre o segundo trimestre de 2018 e o deste ano, passando de R$ 5,9 bilhões para R$ 6,6 bilhões. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) recorrente cresceu 8%, passando de R$ 2,8 bilhões para R$ 3,1 bilhões.

No semestre, a Eletrobras teve lucro líquido de R$ 6,9 bilhões, um aumento de 272% em relação ao R$ 1,8 bilhão do primeiro semestre de 2018. A receita operacional líquida cresceu 9,2%, passando de R$ 11,9 bilhões no primeiro semestre de 2018 para R$ 13,09 bilhões. Com isso, o Ebitda recorrente passou de R$ 6,1 bilhões para R$ 6,03 bilhões.

Segundo a empresa, o indicador dívida líquida/Ebitda recorrente LTM, dos últimos 12 meses, ficou em duas vezes, melhor do que a meta estabelecida de ficar abaixo de três vezes. As provisões para contingências somaram o montante de R$ 329 milhões e a reversão de Contratos Onerosos foi R$ 248 milhões.

 

Fonte - Agência Brasil

Agrotóxicos são 'afronta a saúde' e tornam nocivos alimentos que deveriam ser benéficos

Terça 13 Ago 2019 - 10h37




Agrotóxicos são 'afronta a saúde' e tornam nocivos alimentos que deveriam ser benéficos

O debate sobre o impacto negativo do uso de agrotóxicos para a saúde humana foi aquecido nas últimas semanas, desde que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovou, no final de julho, um novo marco regulatório para avaliação dos riscos vinculados a esses produtos.

A nutricionista e professora da FTC Thais Vieira Viana considera os agrotóxicos "uma afronta à saúde pública", uma vez que eles tornam nocivos aqueles alimentos que normalmente seriam a base para uma vida saudável: as frutas, verduras, legumes e hortaliças. "A questão é justamente essa, são os principais alimentos que a gente indica, enquanto profissional da saúde, pra reduzir outras doenças", argumentou Thais ao citar a obesidade, diabetes e hipertensão como exemplos.

A profissional destaca ainda que pesquisas científicas já constataram que o consumo destas substâncias a longo prazo potencializam as chances das pessoas terem cânceres e distúrbios neurológicos. O Instituto do Câncer (Inca) acentua que regiões com alto uso de agrotóxicos apresentam incidência de câncer bem acima da média nacional e mundial. Quanto ao consumo a curto prazo, a especialista afirmou que até o momento não existem estudos e pesquisas que indiquem riscos de intoxicação.

Em discordância da afirmação da ministra da Agricultura Tereza Cristina, de que “nenhum consumidor brasileiro está sendo intoxicado”, a nutricionista defende atenção e consciência das pessoas na hora de escolher o que levam para a mesa para se alimentar. A saída, de acordo com Thais Vieira, seriam as pessoas optarem pelos produtos in natura produzidos por agricultores familiares e vendidos em feiras de bairro. “O ideal é escolher essas feiras com produtos que têm um cultivo mais manual, principalmente aquelas em que são comercializados alimentos que vêm da agricultura familiar, que têm um cultivo mais natural, não produzem em larga escala, então não usam tantos defensivos”, explicou a nutricionista.

Quase duas mil pessoas já morreram por intoxicação com agrotóxicos no Brasil, desde 2007 conforme dados aputados pelo Gloro Rural junto ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). Mais de 40 mil casos de intoxicação já foram registrados em um levantamento realizado entre 2007 a 2017. O Paraná, segundo maior produtor de grãos do país, é o estado com maior número de casos registrados e o que tem o sistema mais eficiente de notificação. As comunidades paranaenses se organizam para tentar se livrar dos efeitos dos venenos agrícolas. Em alguns casos, ele chega pelo ar.

Feiras de produtos orgânicos, segundo a professora, acabam não sendo uma opção para a maioria das pessoas, uma vez que são mais difíceis de ser encontradas e nem sempre têm preços são acessíveis a toda a população.

Atualmente, o Brasil é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo. Os produtos são utilizados na agricultura para eliminar insetos ou ervas daninhas nas plantações e também são chamados de defensivos agrícolas ou agroquímicos. Com a mudança de critérios, a Anvisa passou a usar estudos de mortalidade para definir a classificação dos agrotóxicos, ou seja, agora a agência categoriza esses produtos a partir do risco de morte por contato. Em entrevista coletiva nesta semana, o diretor da Anvisa Renato Porto disse que o objetivo da nova norma é deixar na classificação de extrema toxicidade apenas aqueles produtos que trazem risco de letalidade para o produtor, removendo dessa classificação os itens que podem ter consequências menos graves, como corrosão na pele e opacidade da córnea. As novas regras reduziram o número de produtos considerados "extremamente tóxicos" à saúde ao retirar a tarja vermelha de 600 agrotóxicos e redistribui-los entre outras categorias.

Além disso, o número de classes em que um produto pode ser enquadrado passou de quatro para seis, de acordo com Renato Porto, que ainda argumentou que a partir dessa novidade o agricultor passará contar com um número maior e também mais preciso de informações nos rótulos para que possa avaliar qual substância utilizar.

 

Fonte - Bahia Notícias

Sobradinho vence seca após 20 meses e recupera economia no São Francisco

Segunda 12 Ago 2019 - 08h23




Sobradinho vence seca após 20 meses e recupera economia no São Francisco

Foram quatro dias: entre 15 e 18 de novembro de 2017, o reservatório de Sobradinho, maior do rio São Francisco, atingiu o seu nível mais baixo da história, chegando a apenas 1,8% de seu volume útil. Pouco menos de 20 meses depois dessa baixa recorde, o lago começa a voltar a respirar. O volume útil da represa chegou a 42,7% na quinta-feira (8), voltando ao nível de 2013, ano em que a seca começou a fustigar o semiárido do Nordeste.

Além de dar estabilidade à produção de energia pelas usinas hidroelétricas instaladas ao longo do São Francisco, a recuperação da barragem também abre perspectivas para a retomada econômica da região, que tem na fruticultura irrigada e piscicultura como carros-chefes. Nos últimos anos, o cenário foi de estagnação. Desde junho de 2017, a ANA (Agência Nacional de Águas) reduziu a vazão da paragem de Sobradinho para 550 m³/s e proibiu a captação de água do rio todas as quartas-feiras, deixando as plantações um dia da semana sem irrigação.

Os seis anos consecutivos de seca, entre 2012 e 2018, resultaram num aumento de custos para os produtores com energia, já que a água para a irrigação passou a ser bombeada de regiões mais distantes. Além disso, parte dos agricultores deixou de lado os cultivos de ciclo curto, no qual eram produzidos melancia, melão, feijão e cebola, e concentrou-se na produção principal de manga e uva.

O cenário mudou com as chuvas que atingiram a região nas duas últimas quadras chuvosas. A restrição para a irrigação nas quartas —que resultava em queda de até 15% na produtividade— caiu no fim do ano passado, e a vazão de Sobradinho já chega a 800 m³/s.

Ao todo, a região tem 120 mil hectares de fruticultura irrigada, que resultaram numa colheita de 750 mil toneladas de frutas em 2018.Um dos principais polos de produção, a cidade de Casa Nova retomou a curva de crescimento na produção. Segundo dados do Censo Frutícola, a colheita de manga em 2018 chegou a 100 mil toneladas —aumento de 84,8% em comparação a 2016. Também foram colhidas na cidade 28 mil toneladas de goiaba e 27 mil toneladas de uva.

O avanço da produção fez as vinícolas da região retomarem seus planos de investimento. Em dezembro, o Grupo Miolo anunciou a ampliação de sua fábrica de vinhos em Casa Nova e a instalação de uma nova fábrica de suco de uva na cidade de Barra.

Além da oferta de água, o cenário tornou-se mais promissor com o acordo entre Mercosul e União Europeia, que vai derrubar taxas para exportação de frutas e derivados. Os empresários defendem que a janela de oportunidade seja aproveitada com uma política de crédito para irrigação no longo prazo e incremento da pesquisa, além de uma primazia para a produção agrícola diante da produção energética.

“A fruticultura no Vale do São Francisco tem um potencial de crescimento muito maior do que se estima. Basta que ele seja encarado como uma política de Estado”, diz José Gualberto de Freitas, presidente da Valexport, entidade que congrega produtores e exportadores de fruta da região. O setor pesqueiro também ganhou novo impulso. Criando tilápias em tanques há sete anos no reservatório de Sobradinho, Estefani dos Santos, 28, voltou a produzir 20 toneladas de peixes por ano e já mira chegar a 30 toneladas em nos próximos anos.

“O problema é que quando a barragem seca, temos que movimentar os tanques para áreas menos rasas, e isso gera mortalidade. Já cheguei a perder três toneladas de peixes nesse processo”, diz o pescador. Rafael Ferreira, que também possui tanques em Sobradinho, chegou a pensar em desistir no auge da seca. Mas, em dois anos, conseguiu ampliar a produção de 8 para 18 toneladas de tilápias a cada ciclo de seis meses. Além de Sobradinho, a retomada do volume de água também avança nos demais reservatórios do Sistema Hídrico do Rio São Francisco. Em Três Marias (MG), o volume de água chegou a 72,7%.

Em Itaparica, a barragem chegou a 37,8% do volume útil. Há cinco anos, com 15%, o nível baixo da água fez reaparecer quase toda a estrutura antiga igreja do Sagrado Coração de Jesus, em Petrolândia (PE), inundada quando a barragem foi criada, em 1988. Apesar do avanço, o volume ainda está longe de atingir o nível pré-seca. Em fevereiro de 2012, Sobradinho chegou a ter 88% de sua capacidade, que é de 34 milhões de metros cúbicos de água.

Presidente do Comitê da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, Anivaldo de Miranda diz que a retomada do volume é resultado de ações preventivas, mas que a situação do rio ainda inspira cuidados. Além da quantidade de água, sua qualidade também é essencial para o futuro do São Francisco. Não podemos perder o foco”, afirma Anivaldo, defendendo uma retomada nos investimentos contra o assoreamento e em sistemas de esgoto nas cidades ribeirinhas.

 

Fonte - Bahia Notícias

Governador reconhece situação de emergência em Vitória da Conquista por conta de estiagem

Segunda 12 Ago 2019 - 08h19




Governador reconhece situação de emergência em Vitória da Conquista por conta de estiagem

O governador Rui Costa (PT) reconheceu, neste domingo (11), situação de emergência em Vitória da Conquista e Maetinga por conta da estiagem. Ao declarar a situação de emergência por conta dos problemas causados pela falta de chuva, as prefeituras das cidades obtêm facilitações na contratação de serviços que envolvam a questão.  Os decretos públicos neste domingo no Diário Oficial têm duração de 180 dias e podem ser prorrogados.

A situação de emergência também foi decretada pelo governador em Ibicaraí  por conta do deslizamento de solo. A decisão considera os danos decorrentes as atividades econômicas e a população nas cidades baianas.

Os decretos foram assinados por Rui e por Carlos Mello, secretário da Casa Civil em exercício.

 

Fonte - Bahia Notícias

Maior produtor de mamona no Brasil, Bahia tem investimento na cultivo da planta no oeste

Segunda 12 Ago 2019 - 08h16




Maior produtor de mamona no Brasil, Bahia tem investimento na cultivo da planta no oeste

Agricultores da região oeste da Bahia estão usando a mamona – conhecida pelo uso em biocombustíveis – como matéria prima para produção de óleo que também pode ser usado em cosméticos, na impressão 3D, produção de super-plásticos da indústria aeroespacial.

A aplicação tem atraído a atenção de investidores internacionais, já que o Brasil é o terceiro maior produtor de mamona do mundo, com 6% produção total. A Bahia é o estado que mais produz mamona: cerca de 92% da produção nacional.

Entre os países que mais consomem os produtos feitos a partir da mamona estão China, Estados Unidos, Alemanha, França e Japão. Em uma fazenda na cidade de Correntina, um grupo japonês aposta na plantação de mamoneiras em 300 hectares da propriedade.

“É uma cultura de fácil manejo e não exige muitas aplicações para tratos culturais, para controle de pragas e doenças. E ela se adapta bem nessas áreas que são mais secas", explica Caio Siqueira, gerente da fazenda.

A cápsula da mamona costuma ter três sementes, carregadas de um óleo valoroso. Nas produções da região oeste, a mamona é híbrida, um tipo selecionado para produzir mais óleo.

O representante comercial Fábio Franco enumera o aproveitamento da mamona.

“As propriedades físico-químicas do óleo de mamona proporcionam utilizações jamais percebidas no passado, como por exemplo na produção dos super-plásticos, utilizados em aeronaves da Nasa, que vão para o espaço, na produção de impressões 3D, na textura diferenciada de tintas de paredes. O mercado de cosméticos tem descoberto novas utilizações para o mercado de mamonas, e até na composição do chocolate que nós comemos no dia a dia possui ácidos derivados da ricina", exemplificou.

 

Fonte - G1 Bahia

Mega-Sena acumula e vai pagar R$ 9 milhões na quarta

Segunda 12 Ago 2019 - 08h13




Mega-Sena acumula e vai pagar R$ 9 milhões na quarta

Nenhum apostador acertou as seis dezenas do concurso 2.178 da Mega-Sena, realizado ontem (10) à noite em São Paulo. O prêmio acumulou pela segunda vez seguida, e a Caixa Econômica Federal deve pagar R$ 9 milhões na quarta-feira (14).

As dezenas sorteadas foram: 02-16-21-42-50-56.

No mesmo concurso, a Quina saiu para 25 apostas, que vão levar para casa R$ 63.031,11. Um total de 2.304 ganhadores acertaram a quadra e vão receber R$ 977,04.

A Mega-Sena paga o prêmio principal para quem acertar os 6 números sorteados. Ainda é possível ganhar prêmios ao acertar 4 ou 5 números. O jogo de seis números custa R$ 3,50.

 

Fonte - Agência Brasil

Comissão do Congresso aprova LDO com reajuste do salário mínimo para R$ 1.040

Sexta 09 Ago 2019 - 08h00




Comissão do Congresso aprova LDO com reajuste do salário mínimo para R$ 1.040

Com atraso, a Comissão Mista de Orçamento (CMO) do Congresso Nacional aprovou nesta quarta-feira (7) o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2020, segundo o G1. Um dos pontos de destaque do texto aprovado no colegiado é o do reajuste do salário mínimo para R$ 1.040 para o próximo ano.

Para ter validade, a matéria terá que passar por uma votação numa sessão conjunta entre Câmara e Senado. Caso passe por esta etapa, o texto irá ao Palácio Planalto para análise do presidente Jair Bolsonaro (PSL).

A LDO deveria ter sido apreciada na comissão em julho, antes do recesso parlamentar, conforme previsto na Constituição. No entanto, como ainda não haviam apreciado o texto, os congressistas saíra de férias informais, também conhecido como "recesso branco".

 

Fonte - BN

MP de São Paulo pede arquivamento de investigação de caso Neymar

Sexta 09 Ago 2019 - 07h50




MP de São Paulo pede arquivamento de investigação de caso Neymar

O Ministério Público do Estado de São Paulo (MP-SP) pediu à justiça, nesta quinta-feira (8), o arquivamento da investigação sobre a denúncia de estupro contra Neymar. De acordo com informações do G1, cabe agora à Justiça decidir se o pedido será ou não homologado.

No dia 12 de julho, a Justiça deu um prazo de 30 dias para que a delegada Juliana Lopes Bussacos, da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM), concluísse o inquérito que apura a denúncia. Após a conclusão, no último dia 29 de julho, a polícia decidiu não indiciar Neymar pelos supostos crimes.

 

Fonte - Bahia Notícias

Motorista de aplicativo pode aderir a programa de microempreendedor individual

Sexta 09 Ago 2019 - 07h48




Motorista de aplicativo pode aderir a programa de microempreendedor individual

Os motoristas de aplicativo independentes, podem agora serem considerados microempreendedores individuais. Eles receberam autorização do governo, por meio de resolução publicada no "Diário Oficial da União" desta quinta-feira (8).

O programa criado há dez anos atrás para incentivar a formalização de pequenos negócios e de trabalhadores autônomos como vendedores, doceiros, manicures, cabeleireiros, eletricistas, entre outros, a um baixo custo.

Podem aderir ao programa os negócios que faturam até R$ 81 mil por ano (ou R$ 6,7 mil por mês) e que têm no máximo um funcionário, segundo o G1.

Atualmente, o custo mensal do registro é de R$ 49,90, que pode ser acrescido de R$ 1 se o ramo exercido for comércio ou indústria (ICMS), ou de R$ 5, em ISS, se for do ramo de serviços - totalizando R$ 54,90. Se o negócio envolver essas três atividades (comércio, indústria e serviços), o valor mensal é de R$ 55,90.

Além de contribuir mensalmente, o microempreendedor também deve entregar anualmente a Declaração Anual do Simples Nacional – Microempreendedor Individual (DASN SIMEI), manter o controle mensal do faturamento, emitir notas fiscais para pessoas jurídicas, guardar as notas fiscais de compra e venda e realizar os recolhimentos obrigatórios (se tiver um funcionário).

Quando estão adimplentes, os pequenos empresários têm direito aos benefícios da chamada rede de proteção social: salário-maternidade (a partir de 10 meses de contribuição); aposentadoria por invalidez e auxílio-doença (após 12 meses de contribuição); de auxílio-reclusão e pensão por morte para seus dependentes. Além disso, também não podem contar esse tempo para a aposentadoria por idade.

O registro de MEIs permite ao microempreendedor ter CNPJ, a emissão de notas fiscais, o aluguel de máquinas de cartão e o acesso a empréstimos (com juros mais baratos). Além disso, também poderá vender seus produtos, ou serviços, para o governo, além de ter acesso ao apoio técnico do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae).

 

Fonte - G1

STF invalida lei baiana que proibia taxa de religação de energia elétrica

Sexta 09 Ago 2019 - 07h45




STF invalida lei baiana que proibia taxa de religação de energia elétrica

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu, por maioria, invalidou norma do Estado da Bahia que proíbe a cobrança de taxa de religação de energia elétrica em caso de corte de fornecimento por falta de pagamento. A decisão foi tomada na sessão desta quinta-feira (7).

A maioria dos ministros acompanharam o relator do texto, ministro Luiz Fux, no sentido da procedência da Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) 5610, ajuizada pela Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee).

Durante o voto, o ministro relator verificou que a Lei estadual 13.578/2016 afrontou regras constitucionais que atribuem à União a competência para explorar, diretamente ou por seus concessionários, os serviços e instalações de energia elétrica.

Conforme publicação do STF, o argumento utilizado por Fux é de que os prazos e os valores para religação do fornecimento de energia encontram-se regulamentados de forma “exauriente” por resolução da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Na avaliação do ministro, a lei baiana, apesar de ofertar maior proteção ao consumidor, tornou sem efeito norma técnica da agência reguladora competente. Na ocasião Fux citou precedentes em que Plenário invalidou leis estaduais que tratavam da regulação de serviços de energia elétrica e telefonia.

 

Fonte - Bahia Notícias

Receita abre consulta a terceiro lote de restituição do IR

Quinta 08 Ago 2019 - 08h35




Receita abre consulta a terceiro lote de restituição do IR

Os contribuintes poderão consultar se estão no terceiro lote de restituição de Imposto de Renda (IR), a partir das 9h de hoje (8). O lote contempla também restituições residuais dos exercícios de 2008 a 2018.

O crédito bancário para mais de 2,978 milhões de contribuintes será feito no próximo dia, somando R$ 3,8 bilhões.

Desse total, R$ 298,493 milhões são para contribuintes com prioridade: 7.532 idosos acima de 80 anos, 44.062 entre 60 e 79 anos, 6.888 com alguma deficiência física ou mental ou doença grave e 24.513 contribuintes cuja maior fonte de renda é o magistério.

Para saber se teve a declaração liberada, o contribuinte deverá acessar a página da Receita na internet, ou ligar para o Receitafone, 146.

Na consulta à página da Receita, serviço e-CAC, é possível acessar o extrato da declaração e ver se há inconsistência de dados identificada pelo processamento.

Nessa hipótese, o contribuinte pode avaliar as inconsistências e fazer a autorregularização, mediante entrega de declaração retificadora.

A Receita disponibiliza ainda aplicativo para tablets e smartphones, o que facilita a consulta às declarações e à situação cadastral no CPF - Cadastro de Pessoa Física.

A restituição ficará disponível no banco durante um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá fazer requerimento por meio da internet, utilizando o Formulário Eletrônico - Pedido de Pagamento de Restituição, ou diretamente no e-CAC, no serviço Extrato do Processamento da DIRPF.

Caso o valor não seja creditado, o contribuinte poderá entrar em contato pessoalmente com qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar para a Central de Atendimento (telefone 4004-0001 (capitais), 0800-729-0001 (demais localidades) e 0800-729-0088 (telefone especial exclusivo para deficientes auditivos) para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança, em seu nome, em qualquer instituição.

 

Fonte - Agência Brasil

Baixa na produtividade de manga em Livramento está ligada a má formação do fruto, afirma produtor livramentense

Quinta 08 Ago 2019 - 07h49




Baixa na produtividade de manga em Livramento está ligada a má formação do fruto, afirma produtor livramentense

Em 2016, Livramento de Nossa Senhora cultivou 52 mil toneladas de manga, o que conferiu ao município a segunda maior produção da Bahia, de acordo com informações da Secretaria de Agricultura  do Estado. Porém, devido a fatores climáticos como  a chuva mal distribuída e concentrada, o que gera períodos de grande estiagem, produtores locais de manga e maracujá estão diminuindo a produção e safras estão sendo encerradas antes do tempo previsto. Porém, para o produtor livramentense, Gutemberg Carneiro, as dificuldades com o clima são contornáveis. Gutemberg afirmou que, a má formação do fruto, no caso, a manga, é a principal adversidade enfrentada pelos fruticultores livramentenses. “A partir de 2013 mais ou menos, apareceu aquilo que chamamos de ‘manguita’, que na verdade se trata do fruto da manga sem o caroço. É um fruto mal formado. Por tanto, eu atribuo a baixa na produção de manga em Livramento a má formação do fruto”, afirmou Gutemberg.

Quando perguntado sobre o fator que pode causar a má formação do fruto, Gutemberg afirmou que não existem estudos científicos que apontem uma causa. “Não existem técnicos, nem agrônomos ou profissionais ligados à agricultura  que possam apontar uma causa específica. Antes diziam que era o tempo quente e até mesmo a umidade relativa do ar, mas não é. Hoje aparece ‘manguita’ em qualquer época. Por isso, eu interpreto que seja um inseto chamado tríplice que esteja provocando a má formação da manga”, opinou o produtor.

~Gutemberg ainda afirmou que no caso da má distribuição das chuvas em Livramento, a problemática climática foi resolvida com a abertura de poços artesianos. “Nós abrimos poços artesianos. Foram muitos poços artesianos que foram abertos desde 2013, quando enfrentamos um período bastante severo de seca.  Além dos poços, temos o suporte de 12 horas de água da barragem, água doce. A gente coloca um bagaço no pé da mangueira e ela permanece úmida por 8 dias em média”, descreveu o fruticultor.  E o produtor enfatizou que a baixa produtividade por conta da má formação do fruto não é problema específico apenas de Livramento, mas se estende em outras áreas agricultáveis. “Não é somente um caso de Livramento. Deu em Jaíba, deu Xique Xique e deu em Juazeiro. Você pode observar que o preço agora está bom, pois é aquela coisa: se a oferta é menor, o preço é maior”, ponderou.

Para finalizar, Carneiro afirmou que diversificar a produção frutas tem sido a saída encontrada pelos agricultores. “Tenho conversado com muita gente e a solução tem sido plantar outras frutas, como abacate e mamão. Muitos conhecido estão investindo em plantio de abacate na cidade de Rio de Contas. No meu caso específico, meu investimento central é na manga. É claro que não temos os mesmos rendimentos do passado, mas ainda é um bom investimento”, concluiu Gutemberg.

~E como bem disse o produtor livramentense Gutemberg Carneiro, a produção de manga continua sendo uma atividade econômica rentável não somente em Livramento. Tanto é que o projeto de irrigação de Ceraíma, na cidade de Guanambi, a 205 Km de Livramento, deverá elevar a produtividade do cultivo de manga na região. Com a implantação do novo sistema de irrigação, a atividade produtiva deverá ser mais eficiente. Isso por conta do uso de novas tecnologias, cultivares resistentes às pragas e maior capacidade produtiva, abre a expectativa de transformar Ceraíma no Novo Celeiro do Alto Sertão. O Perímetro Irrigado de Ceraíma tem área agricultável de 853 hectares. Em atividade plena pode gerar mais de 1.500 empregos e uma receita anual de R$ 80 milhões por ano. De acordo com informações da Cooperativa Agrícola de Ceraíma,  já passa de 150 hectares a área plantada nestes primeiros meses de funcionamento do novo sistema que foi inaugurado no último dia 02.

 

Fonte - Rádio88FM