Portal Livramento

Portal Livramento

Resultado da busca pela categoria "polícia"

Livramento: grupo de Carlão é fortalecido com apoio de ex-prefeito, Dr. Paulo e da liderança, Eduardo.

Sexta 10 Jul 2020 - 17h09




Livramento: grupo de Carlão é fortalecido com apoio de ex-prefeito, Dr. Paulo e da liderança, Eduardo.

Nos últimos dias o cenário politico foi bem movimentado em Livramento. Hoje houve o anúncio do apoio de dois grandes nomes da liderança política do município ao pré-candidato a prefeito, Dr. Carlão (PSD). Nomes como o do ex-prefeito, Dr. Paulo e também de Eduardo, líder local.

Vale destacar que Carlão, pré-candidato a prefeito do município, já conta com o apoio de outro grande líder, o ex-prefeito de Livramento, Emerson Leal, que já afirmou que seu candidato a prefeito é Carlão.

Antes mesmo de receber os apoios, o pré-candidato, já tinha um forte apelo popular. Agora com o crescimento do grupo de apoio, Carlão desponta ainda mais na frente como um nome forte para corrida eleitoral.

Perguntado sobre os apoios, Carlão disse: “Fico muito grato por ter o apoio de grandes lideranças aqui de Livramento. Também, por acreditarem no nosso projeto para o município e para o nosso povo”.

Com todos os acontecimentos, evidencia que o cenário político na região já está formado e tomou corpo para as eleições.

Prova de vida de aposentados e pensionistas é suspensa até setembro

Sexta 10 Jul 2020 - 15h55




Prova de vida de aposentados e pensionistas é suspensa até setembro

O recadastramento anual de aposentados, pensionistas e anistiados políticos está suspenso até 30 de setembro para evitar contaminações por covid-19. O prazo, que acabaria no próximo dia 16, foi prorrogado por causa da pandemia.

A instrução normativa do Ministério da Economia com o adiamento foi publicada na quarta-feira (8) no Diário Oficial da União. As visitas técnicas para comprovação de vida, interrompidas desde março, também continuam suspensas.

Segundo a Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia, cerca de 700 mil pessoas serão afetadas pelo adiamento. A instrução normativa esclarece que a suspensão não prejudica o pagamento dos benefícios aos aposentados, pensionistas e anistiados.

Realizada todos os anos no mês de aniversário do beneficiário, a comprovação de vida é exigida para a manutenção do pagamento do benefício. A prova de vida exige o comparecimento do segurado ou de algum representante legal ou voluntário à instituição bancária onde saca o benefício.

Desde agosto do ano passado, o procedimento pode ser feito por meio do aplicativo Meu INSS ou pelo site do órgão por beneficiários com mais de 80 anos ou com restrições de mobilidade. A comprovação da dificuldade de locomoção exige atestado ou declaração médica. Nesse caso, todos os documentos são anexados e enviados eletronicamente.

 

Fonte - iBahia

ABL firma parceria para distribuição de 4,5 mil livros

Sexta 10 Jul 2020 - 15h54




ABL firma parceria para distribuição de 4,5 mil livros

A Academia Brasileira de Letras (ABL) e a Câmara dos Deputados firmaram parceria com a organização não governamental (ONG) Ação da Cidadania Contra a Fome, a Miséria e pela Vida para distribuição de 4,5 mil livros e cestas básicas de alimentos não perecíveis à população que passa por necessidades neste momento de pandemia do novo coronavírus.

“Eu estava profundamente angustiado, como qualquer cidadão brasileiro, não apenas diante das dificuldades que a pandemia impõe para cada um de nós, mas de modo especial em termos de solidariedade de irmãos nossos em situação vulnerável”, disse hoje (10) à Agência Brasil o presidente da ABL, Marco Lucchesi.

Por isso, decidiu escrever ao presidente das Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro, Marivelton Barroso, do povo Baré, e a outras entidades similares, com a ideia de colaborar com as comunidades. "O que o país tem há muitas décadas é fome de livros. Vamos diminuir, tanto quanto possível, a fome de leitura e de ausência de bibliotecas. Essa tem sido a tônica da academia, porque é compromisso das instituições brasileiras responsáveis pelo país no aspecto cultural”, afirmou.

Lucchesi entrou em contato com a Ação da Cidadania, fundada em 1993 pelo socióloco Herbert de Souza, o Betinho, que se associou recentemente à Cáritas Internacional, para ampliar o alcance de suas ações. A ideia é oferecer um livro em cada cesta básica.

Repercussão
A ABL utilizou o protocolo firmado no Acordo de Cooperação com a Câmara dos Deputados, em 2019, para a realização de ações conjuntas de disseminação da cultura nacional e de valorização do livro e da leitura.

Segundo o presidente da ABI, muitas comunidades que já receberam os livros sinalizaram que esse é o primeiro passo para a criação de bibliotecas. “Seguramente, quando a pandemia passar e nós tivermos maiores condições, vamos implementar até onde for possível, dentro dos limites, acho que abrimos uma porta”. disse. Ele espera que outras portas se abram em parcerias semelhantes, envolvendo cestas básicas, kits de limpeza e livros.

Livros
Os kits de livros doados trazem edições de obras como “Dom Casmurro”, de Machado de Assis; “Iracema”, de José de Alencar; “Macunaíma”, de Mário de Andrade; “Triste Fim de Policarpo Quaresma”, de Lima Barreto; “O cortiço”, de Aluísio Azevedo, entre outras publicações.

O presidente do Conselho da Ação da Cidadania, Daniel de Souza, disse que que “é uma honra contar com a parceria da Câmara dos Deputados e da ABL "O combate à fome e à deficiência de instrução de milhares de brasileiros agora estão de mãos dadas”, afirmou.

Para André Freire da Silva, diretor do Centro de Documentação e Informação da Câmara dos Deputados, “o livro, a leitura e o acesso à informação são fundamentais para a promoção da cidadania. Essa parceria nos dá a oportunidade de incluir mais pessoas e mais famílias no mundo dos livros”

Também em parceria com a Câmara dos Deputados, a ABL distribuiu entre 3 mil e 4 mil livros para bibliotecas de mais de mil unidades prisionais do país.

 

Fonte - Agência Brasil

Mais de 5 milhões já deixaram o afastamento do trabalho desde maio, diz IBGE

Sexta 10 Jul 2020 - 15h49




Mais de 5 milhões já deixaram o afastamento do trabalho desde maio, diz IBGE

Desde o início de maio até a terceira semana de junho, mais de 5 milhões de brasileiros que estavam temporariamente afastados do trabalho devido ao distanciamento social provocado pela pandemia do novo coronavírus deixaram o afastamento, informou o IBGE nesta sexta-feira (10).

Segundo o instituto, na terceira semana de junho, cerca de 11,1 milhões estavam afastados do trabalho, abaixo da semana anterior, quando 12,4 milhões estavam afastados, e também dos 16,6 milhões de afastados no começo de maio. Com isso, o percentual de afastados entre os ocupados caiu de 19,8% no início de maio para 13,3% no dado mais recente.

Os dados foram coletados pela pesquisa Pnad Covid, que busca identificar os efeitos da pandemia no mercado de trabalho e na saúde dos brasileiros.

Os desocupados somavam 11,8 milhões entre 14 e 20 de junho, patamar estável em relação à semana anterior (11,9 milhões), mas acima do registrado no início de maio, quando os desempregados somavam 9,8 milhões. Já os ocupados eram 84 milhões, patamar estável nas duas bases de comparação.

Para Maria Lúcia Vieira, coordenadora da pesquisa, a estabilidade no número de ocupados e desocupadas na passagem de uma semana a outra, acompanhada de uma redução dos afastados, sugere que as pessoas estão voltando às suas atividades.

"No acompanhamento semanal da pesquisa, verificamos estabilidade na população ocupada e desocupada, mas uma queda no grupo de pessoas ocupadas que não estava trabalhando na semana de referência devido à pandemia", observou Maria Lúcia, em comunicado. "Esse movimento se repete na terceira semana de junho em relação à segunda semana, indicando uma continuação do retorno dessas pessoas às suas atividades de trabalho."

Entre os ocupados, 8,7 milhões trabalhavam de forma remota na terceira semana de junho, patamar estável em relação à semana anterior e ao início de maio.

A população fora da força de trabalho, que são aqueles que não estavam trabalhando nem procurando trabalho, somava 74,5 milhões, também estável em relação à semana anterior, mas abaixo do nível da primeira semana de maio (76,2 milhões).

Dessa parcela da população, 17,3 milhões gostariam de trabalhar e não procuraram trabalho por causa da pandemia, uma queda em relação à semana anterior (18,2 milhões) e também na comparação com o início da pesquisa em maio (19,1 milhões).

Segundo Maria Lúcia, os números sugerem que, com a flexibilização do distanciamento social, a pandemia deixou de ser um empecilho à busca de trabalho para 827 mil pessoas.

A taxa de informalidade continuou em queda na terceira semana de junho, para 33,9%, ante 35% na semana anterior e 35,7% no início de maio.

Em edição anterior da pesquisa, o diretor adjunto de Pesquisas do IBGE, Cimar Azeredo, já havia afirmado que essa queda não é algo a ser comemorado.

"Em tempos de crise, a informalidade funciona como um colchão amortecedor para as pessoas que vão para a desocupação ou para a subutilização", disse Azeredo, em meados de junho. "O trabalho informal seria uma forma de resgate do emprego, portanto não podemos dizer que essa queda é positiva."

Na semana de 14 a 20 de junho, 15,3 milhões de pessoas apresentavam pelo menos um dos 12 sintomas associados à covid-19 (febre, tosse, dor de garganta, dificuldade para respirar, dor de cabeça, dor no peito, náusea, nariz entupido ou escorrendo, fadiga, dor nos olhos, perda de olfato ou paladar e dor muscular).

O patamar ficou estável em relação à semana anterior (15,6 milhões) e caiu em relação ao início de maio, quando 26,8 milhões apresentavam pelo menos um dos sintomas. Entre os que apresentaram sintomas, 3,1 milhões buscaram atendimento de saúde e mais de 85% destes atendimentos foram prestados na rede pública.

Apesar da primazia do setor público, o número pessoas que buscaram atendimento privado cresceu, para 440 mil pessoas, ante 271 mil na semana anterior e 320 mil no início de maio.

"Isso pode sugerir que, com a flexibilização, houve uma mudança no perfil das pessoas que apresentam sintomas, especialmente em relação às condições econômicas", disse Maria Lúcia.

O primeiro óbito conhecido pelo novo coronavírus no país ocorreu no dia 17 de março. A partir daí, o país promoveu o fechamento de bares, restaurantes e comércio como forma de combater a pandemia. Em abril, os efeitos econômicos começaram a ser sentidos com mais intensidade, já que as medidas restritivas duraram do começo ao fim do mês. O impacto continuou em maio e junho, com efeitos no mercado de trabalho.

Ao fim de junho, a Pnad Contínua mostrou que a pandemia da Covid-19 destruiu 7,8 milhões de postos de trabalho no Brasil no trimestre encerrado em maio. Isso fez com que a população ocupada caísse 8,3% na comparação com o trimestre encerrado em fevereiro, indo para 85,9 milhões de pessoas.

Também no o mês passado, o IBGE divulgou a primeira pesquisa mensal da Pnad Covid-19, com os resultados consolidados de maio. O estudo apontou que os brasileiros mais afetados pela doença são os pretos, pardos, pobres e sem estudo.

 

Fonte - EBC

ONU prevê 45 milhões de novos pobres na América Latina pós-pandemia

Sexta 10 Jul 2020 - 10h24




ONU prevê 45 milhões de novos pobres na América Latina pós-pandemia

O mundo já registra 12,1 milhões de casos de infecção pelo novo coronavírus, e 550,9 mil mortes causadas pela doença. Além dos efeitos na saúde, a pandemia fará com que cerca de 45 milhões de pessoas caiam da classe média para a pobreza na América Latina e no Caribe, de acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU).

O alerta foi feito pelo secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, nesta quinta-feira (9).

"Em um contexto em que já existem grandes desigualdades, altos níveis de trabalho informal e serviços de saúde fragmentados, as populações e pessoas mais vulneráveis são mais uma vez as mais afetadas", disse Guterres em uma mensagem de vídeo, transmitindo um relatório detalhando dos efeitos devastadores do vírus na região.

A América Latina e o Caribe são considerados no momento o epicentro da pandemia, e já somam mais de três milhões de casos confirmados e mais de 140 mil mortes, principalmente no Brasil, no México, no Peru e no Chile.

Conforme reportagem da agência France Presse publicada pelo G1, a estimativa feita pela ONU é de que a queda do PIB regional este ano seja a maior em um século, em cerca de 9,1%.

A organização também fez previsões sobre crescimento da taxa de pobreza. De acordo com a ONU, esse índice aumentará 7% em 2020, um aumento de 45 milhões de pessoas, com o qual o número total de pobreza e extrema pobreza na região aumentará para 230 milhões (37,2% da população).

A organização estima também que a pobreza extrema crescerá 4,5%, cerca de 28 milhões de pessoas, para afetar um total de 96 milhões (15,5% da população) que estão "em risco de fome", disse Alicia Bárcena, secretária executiva da Comissão Econômica das Nações Unidas para a América Latina e o Caribe (Cepal).

 

Fonte - Pixabay

Brasil registra 69,1 mil mortes e 1,75 milhão de casos em razão da Covid-19

Sexta 10 Jul 2020 - 10h21




Brasil registra 69,1 mil mortes e 1,75 milhão de casos em razão da Covid-19

O Brasil chegou a 1.755.779 milhões de casos em razão da Covid-19. Nas últimas 24 horas foram registradas mais 1.220 mortes, segundo boletim do Ministério da Saúde divulgado nesta quinta-feira (9).

O número de casos nas últimas 24 horas somaram mais 42.619 no quadro da doença. Já o número total de mortes chegou a 69.184.

Conforme o balanço, há 632.552 pessoas em acompanhamento e 1.054.043 se recuperaram, e existem 4.077 mortes em investigação.

 

Fonte - Handout

Nascidos em maio podem sacar primeira parcela de auxílio emergencial

Sexta 10 Jul 2020 - 10h19




Nascidos em maio podem sacar primeira parcela de auxílio emergencial

Cerca de 400 mil beneficiários do auxílio emergencial, contemplados no terceiro lote do benefício, podem sacar hoje (10) os recursos da primeira parcela. O saque está liberado para os nascidos em maio.

O auxílio, com parcelas de R$ 600 (R$ 1,2 mil para mães solteiras), foi criado para reduzir os efeitos da crise econômica causada pela pandemia de covid-19. A liberação do saque e a transferência da poupança social da Caixa para outros bancos estão sendo feitas de acordo com o mês de nascimento dos beneficiários. Os recursos são transferidos automaticamente para as contas indicadas.

O calendário de saque segue o seguinte cronograma: segunda-feira (6) foi a vez dos nascidos em janeiro; terça-feira (7), nascidos em fevereiro, quarta-feira (8), nascidos em março; na quinta-feira (9), nascidos em abril; na sexta-feira (10), nascidos em maio; no sábado (11), nascidos em junho; na segunda (13), nascidos em julho; na terça-feira (14), nascidos em agosto; na quarta-feira (15), nascidos em setembro; na quinta-feira (16), nascidos em outubro; na sexta-feira (17), nascidos em novembro; e no sábado (18), nascidos em dezembro. No total, o saque será liberado para cerca de 4,8 milhões de pessoas.

 

Fonte - Agência Brasil

 

Pedidos de seguro-desemprego sobem 28% em junho; são 4 milhões no ano

Sexta 10 Jul 2020 - 09h34




Pedidos de seguro-desemprego sobem 28% em junho; são 4 milhões no ano

Os pedidos de seguro-desemprego continuaram subindo em junho na comparação com o ano passado. Foram 653,1 mil solicitações no mês, um aumento de 28,4% em relação a um ano antes.

Esse é o terceiro mês seguido de avanço de dois dígitos nos pedidos, impulsionados pela pandemia do coronavírus e os pelos consequentes impactos na economia brasileira.

No primeiro semestre, o seguro-desemprego foi pedido por 3,9 milhões de pessoas, um aumento de 14,8% na comparação com igual período do ano passado.

Desde março, quando começaram as medidas de isolamento que impactaram a atividade econômica os pedidos somam 2,8 milhões (um aumento de 26% em relação a igual período do ano passado).

O número de junho representa uma queda de 32% em relação a maio (quando houve 960 mil requerimentos) e de 12% em relação a abril (748 mil), mas ainda sem representar uma melhora em relação a 2019.

Economistas afirmam que há uma defasagem de tempo entre as demissões e o pedido de seguro-desemprego, e por isso os pedidos podem retratar demissões ocorridas em meses anteriores (o que pode continuar ocorrendo nas próximas divulgações).

Sobre o perfil dos solicitantes de junho, 39,6% eram mulheres e 60,4% homens. A faixa etária que concentrava a maior proporção de requerentes era de 30 a 39 anos, com 32,1%. Em termos de escolaridade, 59,9% tinham formação até o ensino médio.

A maior fatia no número de pedidos veio do setor de serviços (41,7%), seguido por comércio (25,4%), indústria (18,7%), construção (10,1%) e agropecuária (4,1%).

O seguro-desemprego é destinado a trabalhadores formais que foram demitidos sem justa causa e que não possuem renda própria suficiente para a manutenção sua e de sua família. É preciso ainda se enquadrar em algumas regras.

Caso seja a primeira solicitação, o trabalhador precisa ter recebido salário em pelo menos 12 meses nos últimos 18 meses imediatamente anteriores à data de dispensa.

Caso seja o segundo pedido, precisa ter recebido salário em pelo menos 9 meses nos últimos 12 meses imediatamente anteriores à data de dispensa.

Nos demais casos, precisa ter recebido em cada um dos 6 meses imediatamente anteriores à data de dispensa.

Além disso, o requerente não pode receber qualquer benefício previdenciário de prestação continuada, com exceção do auxílio-acidente, do auxílio suplementar e do abono de permanência em serviço.

 

Fonte - BN

Mega-sena: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 40 milhões

Quinta 09 Jul 2020 - 08h43




Mega-sena: ninguém acerta as seis dezenas e prêmio vai a R$ 40 milhões

Ninguém acertou as seis dezenas do concurso 2.277 da Mega-Sena, realizado na noite desta quarta-feira (8), na cidade de São Paulo. O prêmio acumulou e está estimado em R$ 40 milhões.

Veja as dezenas sorteadas: 10 - 22 - 23 - 37 - 53 - 60 - segundo o G1.

A quina teve 89 acertadores; cada um receberá R$ 31.990,12. A quadra teve 5.597 apostas vencedoras; cada uma ganhará R$ 726,69.

 

Fonte - Bahia Notícias

LIVRAMENTO: PREVISÃO INDICA BAIXAS TEMPERATURAS NOS PRÓXIMOS 15 DIAS

Quarta 08 Jul 2020 - 11h14




LIVRAMENTO: PREVISÃO INDICA BAIXAS TEMPERATURAS NOS PRÓXIMOS 15 DIAS

Com o início do inverno, já é possível sentir temperaturas amenas em Livramento de Nossa Senhora. Na madrugada desta quarta-feira (08) os termômetros registraram 14ºC, podendo chegar a 28ºC ao longo do dia. Para os próximos 15 dias, a temperatura mínima varia de 14ºC a 18ºC, a máxima de 23ºC a 28ºC. Neste período não há previsão de chuva e a umidade varia de 20 a 56%. Confira a previsão completa no gráfico da Seagri. 




LIVRAMENTO: PREVISÃO INDICA BAIXAS TEMPERATURAS NOS PRÓXIMOS 15 DIAS

Reabertura de agências do INSS é adiada para 03 de agosto

Quarta 08 Jul 2020 - 10h39




Reabertura de agências do INSS é adiada para 03 de agosto

A reabertura gradual de agências do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) foi adiada para o dia 3 de agosto deste ano, segundo texto publicado no DOU (Diário Oficial da União) desta quarta-feira (8).

O atendimento exclusivo por meio de canais remotos fica prorrogado até o dia 31 de julho e continuará sendo realizado mesmo após a reabertura das agências.

O adiamento do retorno gradual do atendimento presencial foi definido pelos dirigentes da Secretaria Especial de Previdência e Trabalho e do INSS após nova avaliação das informações apresentadas pelo grupo de trabalho responsável pelo plano de ação de reabertura indicar que um número reduzido de Agências cumpriria todos os requisitos estabelecidos até a data anteriormente prevista (13 de julho).

Como será a reabertura

De acordo com o INSS, a reabertura vai considerar as especificidades de cada agência, considerando o perfil de funcionários, o volume de atendimentos realizados, a organização do espaço físico, as medidas de limpeza e os equipamentos de proteção individual e coletiva.

Atualmente, há 1.525 Agências da Previdência Social no país. As unidades que não atenderem as condições necessárias vão continuar em regime de plantão reduzido.

 

Fonte - R7

Governo corta auxílio emergencial de 565 mil por pagamento indevido, diz TCU

Quarta 08 Jul 2020 - 08h49




Governo corta auxílio emergencial de 565 mil por pagamento indevido, diz TCU

Relatório do TCU (Tribunal de Contas da União) obtido pela Folha de S.Paulo diz que 565,3 mil beneficiários do auxílio emergencial de R$ 600 mensais, pago durante a pandemia do novo coronavírus, foram excluídos do cadastro do governo em maio, após se verificar que eles não tinham direito aos recursos.

Os contemplados receberam em abril a primeira parcela, mas, após ajustes no processamento de dados, constatou-se que não cumpriam os requisitos necessários.

Documentos do Ministério da Cidadania enviados à corte listam um amplo conjunto de motivos para o afastamento dos requerentes.

Há casos em que os beneficiários constam do cadastro de mortos da Receita Federal, moram no exterior, integram a população carcerária ou têm mandado de prisão em aberto.

Outros são militares ou recebem o Benefício Emergencial de Preservação do Emprego e da Renda, pago pelo governo aos trabalhadores que tiveram salários e jornadas laborais reduzidas.

Há também situações em que o contemplado teve o benefício cancelado por via judicial ou administrativa, ou mesmo solicitou voluntariamente que ele não fosse pago.

O relatório do TCU, elaborado pela área técnica, compila informações sobre o auxílio emergencial em maio. O documento será levado pelo ao plenário pelo relator, ministro Bruno Dantas, durante julgamento nesta quarta (8).

O objetivo do acompanhamento é subsidiar diferentes órgãos, como a Comissão Mista de Orçamento do Congresso Nacional, com dados a respeito do programa.

Relatório julgado na semana passada pelo tribunal, com mais detalhes sobre as fraudes no pagamento, apontou que 17 mil mortos constam do cadastro de beneficiários.

Na lista também estão aposentados do INSS, do Banco Central e da Justiça Federal, além de servidores federais.

Os pagamentos indevidos somaram R$ 427,3 milhões até abril. O TCU determinou que o governo busque o ressarcimento. Na semana passada, decidiu enviar ao MPF (Ministério Público Federal) a lista de possíveis fraudadores para a tomada de providências no âmbito penal.

No relatório que será levado a julgamento nesta quarta, o TCU estimou em até 60,4 milhões o número de pessoas com direito ao benefício, três milhões a menos do que os 63,4 milhões identificados como elegíveis pelo governo.

"Apesar das limitações da estimativa, essa diferença indica um risco de erro de inclusão, que pode chegar a mais de R$ 1,8 bilhão por mês", escrevem os auditores.

O auxílio de R$ 600 mensais vem sendo pago desde abril pelo governo, como forma de socorrer principalmente trabalhadores informais que ficaram sem renda, desempregados e integrantes do Programa Bolsa Família.

Para recebê-lo, a renda tributável em 2018 não pode ter excedido R$ 28,5 mil. Há outros dois critérios: ou ter rendimento familiar mensal per capita de até meio salário mínimo (R$ 522) ou ter rendimento familiar mensal total de até três salários mínimos (R$ 3.135).

Na semana passada, o governo anunciou a expansão do programa por mais dois meses. O pagamento mensal também será equivalente a R$ 600.

O TCU diz que o governo já gastou R$ 76,86 bilhões em abril e maio, valores transferidos a 59 milhões de pessoas. Diante dos números, a corte conclui que a medida é "efetiva para garantir renda aos trabalhadores informais, autônomos e desempregados, e para complementar a renda de beneficiários do Programa Bolsa Família".

Diante do cenário de deterioração econômica, e da possibilidade de que seja necessário prolongar ainda mais os pagamentos, os auditores fizeram simulações do impacto orçamentário.

Se o prazo for dilatado até setembro (mais um mês), com benefícios a R$ 600 mensais, o total consumido pelo programa chegará a R$ 321,2 bilhões. Caso esse valor seja mantido até dezembro, as despesas seriam de R$ 465,8 bilhões.

 

Fonte - O Tempo

Dom Basílio retoma ano letivo através de sistema virtual; 91% dos alunos estão em aula

Quarta 08 Jul 2020 - 08h45




Dom Basílio retoma ano letivo através de sistema virtual; 91% dos alunos estão em aula

Através de um Sistema de Gestão Escolar, o município de Dom Basílio retomou o ano letivo no início do mês de junho, na rede pública de ensino. As informações são do portal Achei Sudoeste.

O secretário municipal de Educação, Antônio Lima, informou que o município adequou o sistema, que antes era apenas uma ferramenta de gerenciamento voltado para questões administrativas, para funcionar como uma plataforma pedagógica de aulas on-line.

“Hoje, a gente consegue atender 71% dos alunos da nossa rede diretamente pela plataforma. Obviamente, ainda temos a dificuldade de ter a totalidade dos alunos com acesso à internet, mas o município não excluiu esse aluno. Nós atendemos 71% via plataforma, 20% atendemos diretamente na casa, semanalmente, entregando atividades e livros, e 9% que não desenvolve nenhuma atividade devido a uma certa resistência. Não é por falta de oferecer”, explicou o secretário.

Segundo Antônio Lima, levando em conta à totalidade da rede, 91% dos alunos do município estão em plena atividade e o vínculo com a escola não foi perdido. “Claro que vamos precisar repor a carga horária. Já criamos um plano para retorno das aulas quando isso puder acontecer, mas já estamos compensando a carga horária que está sendo trabalhada com essa ferramenta”, completou.

O prefeito Roberval Cássia Meira (PL), o Galego, afirmou que a implantação do sistema visa atender a necessidade do aluno, bem como a de cumprimento do calendário escolar em atendimento às exigências do Ministério da Educação.

 

Fonte - Achei Sudoeste

Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio de R$ 33 milhões

Quarta 08 Jul 2020 - 08h34




Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira prêmio de R$ 33 milhões

A Mega-Sena sorteia nesta quarta-feira (8) prêmio acumulado de R$ 33 milhões.

As seis dezenas do concurso 2.277 serão sorteadas, a partir das 20h (horário de Brasília), no Espaço Loterias Caixa, localizado no Terminal Rodoviário do Tietê, na cidade de São Paulo.

As apostas podem ser feitas até as 19h (horário de Brasília), em qualquer casa lotérica credenciada pela Caixa, em todo o país ou pela internet.

 O volante, com seis dezenas marcadas, custa R$ 4,50.

 

Fonte - EBC

TJBA: DES. LOURIVAL TRINDADE RECEBE MOÇÃO DE APLAUSOS EM RECONHECIMENTO À SUA GESTÃO

Terça 07 Jul 2020 - 10h00




TJBA: DES. LOURIVAL TRINDADE RECEBE MOÇÃO DE APLAUSOS EM RECONHECIMENTO À SUA GESTÃO

A sessão virtual da Seção Cível de Direito Público, ocorrida no último dia 10, foi marcada pela moção de aplausos à gestão do Desembargador Presidente Lourival Trindade, apresentada pelo Desembargador Raimundo Sérgio Cafezeiro, e aprovada à unanimidade.

Presidente do referido colegiado, o Desembargador Cafezeiro fez questão de destacar as medidas adotadas pelo Presidente e toda a sua equipe em meio à pandemia. Vale destacar que a gestão atual teve início no mês de fevereiro.

Conforme lembrou o Desembargador em sua moção, ao longo da crise sanitária enfrentada, foram editados diversos normativos, com vistas à preservação da vida e saúde de todos, bem como buscando assegurar a continuidade da prestação jurisdicional, além do controle dos gastos.

Entre as medidas destacadas está a revisão e negociação dos contratos, iniciada antes mesmo da pandemia, que resultou numa economia de mais de R$ 3 milhões, em 40 dias de gestão. Destaque também para o menor índice na despesa de pessoal da última década, referente ao primeiro quadrimestre do ano de 2020, obtendo percentual de 4,8% da Receita Corrente Líquida do Estado.

Especificamente sobre as ações durante a pandemia, o Desembargador citou os bons resultados do teletrabalho; a inovação das sessões virtuais de 2º Grau, com viabilização de sustentação oral; julgamento por videoconferência nas Turmas Recursais dos Juizados Especiais, com direito a sustentação oral por parte dos advogados; além do ato Conjunto nº 06, que estabeleceu medidas de contingenciamento visando assegurar o equilíbrio financeiro e eficiência nos serviços prestados.

O Presidente da Seção Cível de Direito Público ressaltou o comprometimento do Desembargador Presidente e de toda a sua equipe, que mesmo diante do isolamento social imposto, acompanham de perto o desenvolvimento das ações.

“Registre-se que, apesar do isolamento social imposto pelo momento singular que passamos, o Presidente deste Sodalício, juntamente com a sua equipe, comparece, diariamente, a esta Corte, a fim de acompanhar de perto o desenvolvimento das ações empreendidas e solução dos problemas apresentados, com o otimismo que lhe é peculiar, apesar dos tempos sombrio”, afirmou.

Finalizando, ratificou que a moção é uma forma de manifestar o reconhecimento pela atuação do Desembargador Lourival Trindade frente ao “enorme desafio de gerir o Poder Judiciário do Estado da Bahia, sem se afastar dos seus princípios éticos, sempre de portas abertas, nesse momento de incertezas, do qual não existe nenhum histórico para que se possa fazer previsões futuras, buscando inovação e modernização, além do diálogo com os pares e a transparência de todos os seus atos para, em conjunto, vencermos a crise”.

 

Fonte - TJBA