Portal Livramento

Portal Livramento

Resultado da busca pela categoria "educação"

'Ato de caminhoneiros pode ser o embrião de uma rebelião tributária', diz economista

Terça 29 Mai 2018 - 10h10




'Ato de caminhoneiros pode ser o embrião de uma rebelião tributária', diz economista

As paralisações dos caminhoneiros podem ser o embrião de uma rebelião tributária, que ocorre quando a população deixa de aceitar a legitimidade do governo para cobrar impostos.

O diagnóstico é do economista e filósofo Eduardo Giannetti da Fonseca, para quem a má condução da crise pelo governo de Michel Temer levou outros setores organizados da sociedade a perceberem sua vulnerabilidade.

Para ele, um dos riscos criados por essa situação é que a disseminação do movimento dos caminhoneiros force a saída do presidente antes da eleição marcada para outubro.

“Esse desgaste foi muito grande. Não estou prevendo isso, mas não descarto.”

Outro temor do economista é que uma radicalização dos ânimos impeça a realização do pleito presidencial em “um clima minimamente civilizado”.

Para evitar isso, na opinião de Giannetti, o governo precisa garantir que o acordo que foi feito com os caminhoneiros seja cumprido e restabelecer a normalidade do funcionamento da economia.

O economista concedeu a entrevista na sexta-feira (25) à noite, após enfrentar o que ele classificou como um “pesadelo logístico” para voltar do Nordeste, onde estava a trabalho, para São Paulo.

Ao ter um voo cancelado de Natal para Maceió, Giannetti precisou alugar um carro, chegou a ficar sem gasolina e se surpreendeu com faixas pedindo intervenção militar nos bloqueios da estrada.

“Eu fiquei chocado”.

 

Há dois anos, o senhor disse que se perguntava até onde o tecido social brasileiro suportaria as consequências da crise econômica. A confusão atual pode ser o início de ruptura do tecido social? 

Não vou declarar que é o início, mas a situação é muito característica de rápida disseminação, porque as pessoas estão com os nervos à flor da pele e a situação é muito instável, qualquer faísca pode deflagrar um movimento de grandes proporções. Em 2013, foram os R$ 0,20 [do reajuste das passagens de ônibus], que acabaram se tornando uma outra coisa, e agora foi a questão da precificação dos derivados de petróleo. 

Surpreende que não tenha ocorrido antes? 

Uma das coisas mais imprevisíveis é como se inicia um processo desses. É um sistema caótico. Eu tenho usado a imagem de um físico quântico que tem um experimento em que você constrói uma torre delgada de areia e joga um único grão no topo. Três coisas podem acontecer: ou o grão de areia repousa no local exato onde caiu, ou o grão de areia escorrega suavemente até a base da torre, ou o grão de areia cai num ponto exato da torre e ela desaba.

A política brasileira está jogando o grãozinho de areia todos os dias nessa torre e ela é extremamente frágil. O sistema de poder se tornou extremamente frágil por tudo que vem acontecendo e por tudo que a Operação Lava Jato escancarou. 

É possível identificar o início desse processo? 

Acho que o primeiro ponto que chamou realmente a atenção para essa realidade brasileira foram as manifestações de junho de 2013. Eu me lembro que, quando as manifestações ganharam as ruas, o então secretário de Dilma Rousseff, Gilberto Carvalho, declarou que o povo estava sendo ingrato.

O Brasil não passou por algo equivalente à Revolução Francesa e à Americana. Ainda estamos vivendo numa espécie de antigo regime em que os governantes acreditam que as pessoas existem para servi-los, e não o contrário. Eles lidam com a sociedade civil como se ela fosse um ente servil e tutelar, que existe para render tributos e prestígio.

E acho que estamos caminhando para uma situação, que eu espero que seja resolvida nas urnas, quando vamos questionar a prevalência desse antigo regime caracterizado por duas realidades que foram muito bem explicitadas pela Lava Jato. 

A primeira é um patronato político que usa o poder para se perpetuar nele e age como se o poder fosse um patrimônio. Aí entra a noção de patrimonialismo de Raymundo Faoro [1925-2003]. E isso vale para todos os grupos políticos que passaram pelo Palácio do Planalto.

Aliado a esse grupo existe um segmento muito relevante do setor privado, do empresariado brasileiro, que, em vez de buscar o crescimento de seus negócios no mercado, criando valor pela inovação e pela eficiência, busca crescer por meio de acesso privilegiado a governantes, num jogo de caça às rendas.

Duas empresas brasileiras colocaram o Estado brasileiro na sua folha de pagamentos. A aliança desses dois grupos constitui o estado patrimonialista no Brasil. A Lava Jato escancarou essa realidade, e grãos de areia estão caindo nessa torre de poder.

O que ameaça a torre despencar agora? 

Lava Jato e o esgotamento do ciclo de expansão fiscal que começou em 1988. Naquele ano, tínhamos uma carga tributária normal para um país de renda média de 24% do PIB [Produto Interno Bruto]. De lá para cá, todos os governos, sem exceção, aumentaram a carga tributária no Brasil. Hoje, ela está em torno de 34% do PIB. 

Além disso, o Estado tem um déficit nominal de 6% do PIB. Então, estamos em um país em que 40% da renda nacional transita pelo setor público. 

A população não sente que isso a beneficiou? 

A capacidade de investimento do Estado caiu de 1988 pra cá. Metade dos domicílios não tem coleta de esgoto. Nossos indicadores de saúde, educação, segurança são deploráveis. O Bolsa Família, que é o principal programa de transferência de renda do governo, representa 0,5% do PIB. É praticamente a migalha que cai da mesa. E olha o impacto que tem para dezenas de milhões de famílias.

Então, realmente tem algo profundamente errado nas finanças públicas brasileiras. Esta revolta dos caminhoneiros é o embrião de rebelião tributária.

O que é uma rebelião tributária? 

É uma insubordinação que começa quando a população não aceita mais a legitimidade do governo para tributá-la. A revolução americana começou com o lema “no taxation without representantion” [não há tributação sem representação].

Qual foi o grão de areia que detonou esse possível início de rebelião tributária? 

Eu admiro a melhoria da governança das estatais brasileiras a partir do governo Temer. Acho que Petrobras, Eletrobras, Infraero melhoraram significativamente em governança e seriedade de gestão. Mas a Petrobras cometeu um erro grave na metodologia de fixação dos preços dos derivados de petróleo. 

Fomos de um extremo ao outro, o que é muito comum no Brasil. Fomos do extremo de uma mão muito pesada no governo Dilma —que represou a correção dos derivados de petróleo para segurar a inflação no curto prazo e acabou gerando um enorme desequilíbrio— para outro extremo de fundamentalismo de mercado, equivocado nesse caso.

Por que esse mecanismo é equivocado? 

Porque você não pode mudar o preço dos derivados de petróleo nas refinarias todos os dias, usando uma metodologia que é calcada em dois preços de alta frequência e de muita volatilidade, que são o preço do petróleo no mercado internacional e a taxa e câmbio em um regime flutuante.

Transmitir para o consumidor a volatilidade do mercado de petróleo mundial e da variação da taxa de câmbio no Brasil todos os dias é uma maluquice. Primeiro porque cria uma enorme imprevisibilidade e depois porque tem situações de volatilidade transitórias que levam a traumas na população.

Se até o Banco Central, no câmbio flutuante, utiliza instrumentos para atenuar a volatilidade do câmbio, como no derivado de petróleo, que é tão sensível para tanta gente na população, você vai transmitir essa volatilidade diariamente para o consumidor final? 

É lógico que tem que ter realismo tarifário. Agora, você acoplar a isso, numa base diária, a volatilidade do mercado internacional de petróleo e do câmbio é um erro grave.

O senhor acha que a população tende a repudiar ou se solidarizar com os caminhoneiros? 

A minha impressão é que a população, de modo geral, apoia. Agora, o que não dá para aceitar é que o direito de greve, que é legítimo, intocável, se transforme no direito de parar e chantagear o país, bloqueando as vias públicas. Isso não é previsto dentro da ordem democrática de um Estado ordenado.

Como o senhor avalia a reação do governo? 

Chamou a atenção que o governo tenha deixado chegar a esse ponto antes de começar a agir. A reação do governo foi atrasada, lenta e excessiva. Estão concedendo coisas que não deveriam estar na negociação. Eles, realmente, estão muito assustados com a situação que se criou. Fizeram aquela confusão inexplicável do PIS/Cofins na Câmara. Não dá para entender aquilo. Foi muito atabalhoado e mostra um governo que está completamente rendido, à mercê dos fatos. 

Isso aumenta o risco de que uma rebelião tributária ocorra de fato? 

Você usou a palavra certa, é um risco. O risco é que outros setores percebendo a fragilidade do governo fiquem animados a tentar chantageá-lo também. Eu acho que os setores organizados da sociedade sentiram o gosto de sangue, porque perceberam a vulnerabilidade deste final de governo Temer.

A disseminação desse movimento poderia ter consequências desestabilizadoras? O senhor disse ter se assustado com as faixas pedindo intervenção militar nos bloqueios. 

Acho que tem dois riscos neste momento. Um deles é que o desencantamento com a política leve a uma posição de indiferença e de abandono de qualquer pretensão de mudança por meio da democracia, do voto. O outro é a violência. A ideia de que precisa haver uma ruptura, um tipo de ação violenta, de ação transgressiva. O que também terminaria mal. 

A democracia existe para permitir correções de voto e mudanças, alternância de poder. Estamos a quatro meses da eleição. Acho perigoso que o quadro se complique a tal ponto que coloque em risco até mesmo a realização de eleições em um clima minimamente civilizado, que permita o debate e o uso dessa oportunidade para tentar melhorar o país.

Como a situação pode ser controlada para evitar esses desfechos? 

Acho que o primeiro ponto é garantir o cumprimento do acordo que foi feito. Embora ele esteja mal desenhado, é o que se tem. E acho que é preciso reestabelecer a normalidade do funcionamento do sistema econômico.

Senão vamos para uma situação de desorganização aguda do sistema produtivo e da própria organização social. Você tem o desabastecimento de hospitais, de alimentos e população reage querendo se proteger. 

Estava lembrando hoje que essa questão dos caminhoneiros esteve muito presente no período que antecedeu a queda de Salvador Allende no Chile. É um grupo com enorme potencial disruptivo. É muito preocupante. 

Existe o risco de um desfecho semelhante no Brasil, com a queda do presidente Temer? 

Eu tendo a crer que sim. Esse desgaste foi muito grande. Não estou prevendo isso, mas não descarto. E acho que, se a situação continuar se agravando e ele se mostrar impotente para cumprir o acordo que firmou com os representantes do movimento, a situação dele caminhará para a insustentabilidade.

 

Fonte - Folha 

 

Confederação da Maçonaria publica manifesto à sociedade com sete pontos

Terça 29 Mai 2018 - 10h06




Confederação da Maçonaria publica manifesto à sociedade com sete pontos

A Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB) publicou um manifesto à sociedade em que mostra “preocupação”, mas também solidariza à situação de instabilidade que passa o Brasil. A CMSB pede “reconhecimento, pela Ordem Maçônica, da legitimidade do direito de reivindicação, nos limites da Lei, da Ética e da Moral, sustentáculos da sociedade e da convivência dos povos”; “a necessidade de respeito ao direito de reivindicar e de ir e vir”; “a premente necessidade da sociedade brasileira, de um projeto estratégico de desenvolvimento socioeconômico com sustentabilidade, construído em bases sólidas e democráticas”; “o combate implacável, em todos os níveis da sociedade, à corrupção e aos crimes de Estado”; “a reestruturação do Estado brasileiro, com a construção de um novo pacto federativo; “a implementação de uma completa e radical reforma tributária; e “a urgência de uma reforma política, com a implantação do voto distrital”. As 27 Grandes Lojas Maçônicas brasileiras que assinaram manifesto, incluindo o Grão-Mestre Jair Tércio, da Bahia, apontam que “a cada dia mais evidente que a sociedade brasileira não mais suporta a tirania econômico-financeira”. “O regime de verdadeira espoliação a que está submetida, com o comprometimento de recursos essenciais ao desenvolvimento econômico e até mesmo à satisfação das mais elementares necessidades humanas, no sustento de uma máquina ineficiente, ineficaz, perdulária e reconhecidamente incapaz de atender aos anseios mínimos da população”, diz um trecho da nota.

 

Fonte - Bahia Notícias

LIVRAMENTO: TEMPO AGRADÁVEL DEVE PREDOMINAR NOS PRÓXIMOS DIAS

Segunda 28 Mai 2018 - 10h45




LIVRAMENTO: TEMPO AGRADÁVEL DEVE PREDOMINAR NOS PRÓXIMOS DIAS

A segunda-feira (28) amanheceu com tempo nublado e leve garoa em Livramento de Nossa Senhora. Para os próximos dias, a previsão do tempo indica temperaturas agradáveis, com mínima de 16ºC e máxima de 26ºC. Confira a previsão completa no gráfico. 




LIVRAMENTO: TEMPO AGRADÁVEL DEVE PREDOMINAR NOS PRÓXIMOS DIAS

Em nova tentativa de pôr fim à greve de caminhoneiros, Temer anuncia redução de R$ 0,46 no litro do diesel por 60 dias

Segunda 28 Mai 2018 - 09h53




Em nova tentativa de pôr fim à greve de caminhoneiros, Temer anuncia redução de R$ 0,46 no litro do diesel por 60 dias

O Presidente da República, Michel Temer, anunciou neste domingo (27) novas medidas para a redução no valor do diesel, em mais uma tentativa de por fim à paralisação dos caminhoneiros que já dura 7 dias e provoca desabastecimento em várias partes do país.

Entre as medidas anunciadas está a redução de R$ 0,46 no preço do litro do diesel por 60 dias, e a isenção de pegamento de pedágio para eixos suspensos de caminhões vazios (leia mais abaixo neste texto). A decisão foi antecipada pelo Blog do Camarotti.

Representantes de caminhoneiros autônomos que se reuniram no Palácio do Planalto com Temer afirmaram que aprovam as medidas e que orientariam a categoria a encerrar a greve assim que elas fossem publicadas.

Durante o pronunciamento, foram registrados panelaços no DF, Rio de Janeiro e São Paulo. Acompanhe

Após a fala de Temer, o ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) afirmou que essa redução de R$ 0,46 no preço do diesel custará ao governo R$ 10 bilhões e que os recursos serão cobertos pelo Tesouro via crédito extraordinário.

Na quinta (24), o governo já havia anunciado uma série de medidas para atender às reivindicações dos caminhoneiros e colocar fim à paralisação.

Entre as propostas estava a redução a zero da alíquota da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide), em 2018, sobre o óleo diesel; e a manutenção, por 30 dias, de uma redução de 10% no valor do diesel nas refinarias, que havia sido anunciada pela Petrobras, redução pela qual a empresa seria ressarcida pela União.

O movimento do governo, porém, não surtiu efeito, e os caminhoneiros mantiveram a paralisação. Diante disso, Temer autorizou o uso das Forças Armadas para desbloquear as estradas e editou um decreto permitindo ao governo assumir o controle de caminhões.

 

Fonte - G1

Wagner e Lídice lideram disputa pelo Senado; Jutahy seria eleito sem senadora na disputa

Segunda 28 Mai 2018 - 09h06




Wagner e Lídice lideram disputa pelo Senado; Jutahy seria eleito sem senadora na disputa

O ex-governador Jaques Wagner (PT) e a senadora Lídice da Mata (PSB) lideram as intenções de voto para as duas vagas ao Senado em todos os cenários em que aparecem como postulantes – e ainda aparecem como os mais citados na pesquisa espontânea. As intenções de voto observadas no levantamento P&A/ Bahia Notícias vão pressionar principalmente o grupo político do governador Rui Costa (PT), cujas informações de bastidores sugerem que Lídice estaria fora da chapa majoritária da tentativa de reeleição do petista. Como a pesquisa foi realizada entre 24 e 30 de abril, antes da apresentação formal de José Ronaldo (DEM) como candidato ao governo no grupo liderado por DEM e PSDB, o nome do ex-prefeito de Feira de Santana apareceu na pesquisa estimulada – em 2010, ele foi candidato ao Senado e não logrou êxito na disputa.

Em 2018, duas vagas para o Senado estão em disputa, o que permite cenários mais amplos para os postulantes. A pesquisa foi realizada em duas etapas, espontânea e estimulada. E, mesmo a espontânea, quando não são citados os nomes dos candidatos, o questionário foi dividido em duas etapas: o primeiro voto e o segundo voto. Sem citar os nomes de postulantes, nenhum político obteve mais do que 2% das intenções de voto. O ex-governador Jaques Wagner foi opção para 1,6% e Lídice da Mata para 1,4%. O senador Otto Alencar (PSD), que não é candidato em 2018, foi citado por 1,1% dos eleitores, e José Ronaldo, candidato ao governo, por 0,3%. Outros nomes, cujos percentuais não foram divididos nominalmente, foram opção para 1,3%. Para 15,7% dos eleitores, ninguém mereceria o primeiro voto ao Senado e 78,6% disseram não saber em quem votar.

 

Fonte - BN

P&A/ Bahia Notícias: Rui lidera em todos os cenários e venceria eleições no 1º turno

Segunda 28 Mai 2018 - 09h04




P&A/ Bahia Notícias: Rui lidera em todos os cenários e venceria eleições no 1º turno

Diante de uma situação amplamente favorável à reeleição, o governador Rui Costa (PT) lidera todos os cenários para a disputa na Bahia em 2018. O petista, que deixou de enfrentar o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), considerado o mais competitivo da oposição, caminha para uma reeleição tranquila, ainda que haja o somatório das forças adversárias que, até a realização do levantamento P&A/ Bahia Notícias, estavam em separado.

Mesmo na pesquisa espontânea, quando não são citados os nomes dos postulantes ao cargo, Rui possui uma margem expressiva de vantagem com relação a outros políticos. A pesquisa foi realizada entre os dias 24 e 30 de abril, portanto, após o indicativo de que ACM Neto não seria mais candidato ao governo. No entanto, como os cenários de candidatura ainda não estão completamente definidos, foram testados diversos nomes, entre eles o de José Ronaldo (DEM) e João Gualberto (PSDB), que confirmaram a união na última sexta-feira (25), e a senadora Lídice da Mata (PSB), candidata à reeleição na Câmara Alta.

O favoritismo do governador pode ser observado desde o primeiro questionamento relacionado à disputa pelo Palácio de Ondina, quando o entrevistador não apresentou nenhum nome aos 1.120 eleitores que participaram da pesquisa. O petista foi mencionado por 19%, quase seis vezes mais do que o segundo maior percentual dessa questão: ACM Neto foi citado por 3,2% dos entrevistados, porém não estará na disputa como candidato – o prazo final para deixar a prefeitura de Salvador foi encerrado no último dia 7 de abril e ele permaneceu no posto. O outro nome com percentual expressivo é o do ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo, avaliado como principal nome das oposições para participar da disputa eleitoral de 2018. O democrata apareceu como opção para 1,4% dos eleitores. O desencanto com a política também foi observado nesse cenário: 19,1% afirmaram que não votariam em ninguém. Como espaço para crescimento dos candidatos, todavia, 56,1% dos eleitores disseram não saber ainda em quem votar.

 

Fonte - Bahia Notícias

LIVRAMENTO: LOJA MAÇÔNICA PROMOVEU FESTA BENEFICENTE NO CLUBE CAIÇARA

Segunda 28 Mai 2018 - 08h45




LIVRAMENTO: LOJA MAÇÔNICA PROMOVEU FESTA BENEFICENTE NO CLUBE CAIÇARA

A Loja Maçônica Deus União e Trabalho Livramentense, nº 93, promoveu, no último domingo (27), festa beneficente no Clube de Campo Caiçara, em prol da ampliação de sua sede, localizada na Rua "A". O evento foi bastante prestigiado pela sociedade livramentense, que compareceu em grande número trazendo toda sua família. A festa foi animada pela banda Los Morenos, que apresentou repertório bem variado, agradando a todos. Na oportunidade, houve sorteio de brindes oferecidos pelo comércio local. A entidade agradece à participação e colaboração dos presentes, bem como aos parceiros e patrocinadores, que fizeram da festa um sucesso!

LIVRAMENTO: OPOSIÇÃO RECEBEU O DEPUTADO FEDERAL SÉRGIO BRITO E O DEPUTADO ESTADUAL NELSON LEAL

Sábado 26 Mai 2018 - 09h35




LIVRAMENTO: OPOSIÇÃO RECEBEU O DEPUTADO FEDERAL SÉRGIO BRITO E O DEPUTADO ESTADUAL NELSON LEAL

A oposição de Livramento de Nossa Senhora, liderada pelos ex-prefeitos Emerson Leal e Carlos Batista (Carlão), recebeu na noite de ontem (25), o Deputado Federal Sérgio Brito e o Deputado Estadual Nelson Leal. A recepção ocorreu na residência do ex-prefeito Emerson Leal, onde estiveram presentes os vereadores Márcio Alan e Juscélio Pires, ex-vereadores, presidentes de partido, empresários e admiradores do grupo político opocisionista. Os deputados Sérgio Brito (PSD) e Nelson Leal (PP), são pré-candidatos à reeleição para o sexto mandato, respectivamente, na Câmara Federal e na Assembléia Legislativa, na Eleição Geral de 2018.

Embasa recomenda economia de água durante greve dos caminhoneiros

Sexta 25 Mai 2018 - 08h34




Embasa recomenda economia de água durante greve dos caminhoneiros
Greve dificulta entrega de insumos para a prestação dos serviços de água e esgoto na Bahia.

A Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa) recomendou, nesta quinta-feira (24), que a população baiana economize água durante a greve dos caminhoneiros, que já dura cinco dias hoje (25).

De acordo com a empresa, a greve dificulta a entrega de produtos químicos usados no tratamento da água distribuída para a população e também, por conta dos bloqueios nas estradas do país.

A empresa disse, ainda, que, por conta de escassez de combustível nos postos, a empresa está priorizando a realização de serviços de manutenção programados e emergenciais que sejam mais urgentes e inadiáveis.

 

Fonte - G1Bahia

APAIXONA CAIÇARA: 1º LOTE PROMOCIONAL JÁ ESTÁ À VENDA; CORRA E ADQUIRA LOGO O SEU!

Sexta 25 Mai 2018 - 08h19




APAIXONA CAIÇARA: 1º LOTE PROMOCIONAL JÁ ESTÁ À VENDA; CORRA E ADQUIRA LOGO O SEU!

O 1º lote promocional do Apaixona Caiçara já se encontra à venda por apenas R$ 100,00, o Camarote Open Bar e R$ 40,00, a pista. O Apaixona Caiçara surgiu através de muito planejamento, para que possa se tornar especial, assim como o Forró do Mica e demais eventos que já são consagrados na cidade e na região, e diante de um projeto tão especial, o empresário Ney Trindade, em prol ao Clube de Campo Caiçara, tratou de incluir grandes atrações na grade do evento, a fim de fornecer o melhor ao público. Uma dessas atrações é o mais novo fenômeno Devinho Novaes, que está no auge de sua carreia e atualmente realiza shows em todo o país. Devido à grande demanda de shows do cantor, o horário e a data da festa foram definidos de acordo com as possibilidades do mesmo, para que pudesse ser feito um show de qualidade para todos. E no dia 16 de setembro (domingo) a partir das 17:00 horas, vocês têm um encontro marcado com Devinho Novaes, Raneychas e Boteco das Amigas para curtir o Apaixona Caiçara, que promete fazer você se apaixonar. Informações sobre os ingressos serão divulgas em breve, e para não perder nenhuma novidade, nos acompanhe no Instagram @apaixonacaicara e fique por dentro. Você irá se surpreender, porque a paixão aqui é garantida!

Protestos dos caminhoneiros continuam; BR-101 é rodovia com mais bloqueios na Bahia

Sexta 25 Mai 2018 - 08h00




Protestos dos caminhoneiros continuam; BR-101 é rodovia com mais bloqueios na Bahia

A sexta-feira (25), quinto dia de manifestações de caminhoneiros em todo país, amanhece com 27 pontos de interdições em rodovias federais que cortam a Bahia. Desde a segunda-feira (21), os motoristas protestam contra os aumentos sucessivos do diesel. Mesmo com um acordo feito nesta quinta-feira (24) entre representantes dos caminhoneiros e do governo federal, as manifestações prosseguem. Nos pontos de protestos, a passagem é barrada apenas para os caminhões que não transportam cargas vivas ou perecíveis. No estado, a rodovia com mais interdições é a BR-101. Na estrada, há bloqueios como o do km 110 em Alagoinhas, próximo à uma fábrica de bebidas. Depois com maior número de protestos, aparecem a BR-242 e a BR-116 que tem quatro pontos. Na BR-242, o bloqueio do km 783 em Barreiras, no oeste, está ativo há mais de três dias. Mesma situação do km 421 da BR-116, em Feira de Santana. Com três bloqueios, vem a BR-324; com 2, a BR-407. Com apenas um bloqueio, finalizam as BRs 349, 020, 135, 415.

 

Fonte - Bahia Notícias

DR. RUANO ASSUME PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE LIVRAMENTO DE NOSSA SENHORA

Quinta 24 Mai 2018 - 11h45




DR. RUANO ASSUME PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE LIVRAMENTO DE NOSSA SENHORA

O Promotor de Justiça, Ruano Fernando da Silva Leite, assumiu na condição de titular a 2ª Promotoria de Justiça de Livramento de Nossa Senhora. Dr. Ruano, foi promovido em sessão extraordinária realizada ontem (23) após deliberação do Conselho Superior do Ministério Público. O Promotor era lotado na Promotoria de Justiça de Ituaçú, com substituição no município de Brumado. A Promotoria de Livramento estava, desde 05 de maio de 2014, sob o comando do Promotor Substituto, Dr. Millen Castro, que prestou relevantes serviços à defesa da ordem jurídica e dos interesses sociais.

Caminhoneiros continuam protestos contra aumento de diesel em BRs que cortam a Bahia

Quarta 23 Mai 2018 - 08h08




Caminhoneiros continuam protestos contra aumento de diesel em BRs que cortam a Bahia

A paralisação de caminhoneiros em estradas que cortam a Bahia prossegue nesta quarta-feira (23). Os motoristas protestam contra os aumentos, que têm sido constantes, do preço do diesel. Segundo a Polícia Rodoviária Federal (PRF-BA), desde as primeiras horas da manhã há manifestações na altura do km 395 da BR-110 em São Sebastião do Passé, no Recôncavo, e no km 110 da BR-101 em Alagoinhas, no agreste. Em todos os pontos, os grupos estão liberando a passagem para carros pequenos. Caminhões e carretas ficam retidos. Conforme a Via Bahia, outras manifestações ocorrem na BR-116. Os trechos ficam em Santo Estevão, Itatim, Milagres, Jequié, Poções e Vitória da Conquista. Mesmo com os bloqueios, a concessionária diz que o tráfego está "fluindo normal" exceto para caminhões e carretas.

 

Fonte - Bahia Notícias

APAIXONA CAIÇARA JÁ TEM DATA MARCADA!

Quarta 23 Mai 2018 - 08h01




APAIXONA CAIÇARA JÁ TEM DATA MARCADA!

O Apaixona Caiçara surgiu através de muito planejamento, para que possa se tornar especial, assim como o Forró do Mica e demais eventos que já são consagrados na cidade e na região, e diante de um projeto tão especial, o empresário Ney Trindade, em prol ao Clube de Campo Caiçara, tratou de incluir grandes atrações na grade do evento, a fim de fornecer o melhor ao público. Uma dessas atrações é o mais novo fenômeno Devinho Novaes, que está no auge de sua carreia e atualmente realiza shows em todo o país. Devido à grande demanda de shows do cantor, o horário e a data da festa foram definidos de acordo com as possibilidades do mesmo, para que pudesse ser feito um show de qualidade para todos. E no dia 16 de setembro (domingo) a partir das 17:00 horas, vocês têm um encontro marcado com Devinho Novaes, Raneychas e Boteco das Amigas para curtir o Apaixona Caiçara, que promete fazer você se apaixonar. Informações sobre os ingressos serão divulgas em breve, e para não perder nenhuma novidade, nos acompanhe no Instagram @apaixonacaicara e fique por dentro. Você irá se surpreender, porque a paixão aqui é garantida!

INSS deixa de agendar atendimento presencial para pedido de salário-maternidade e aposentadoria

Terça 22 Mai 2018 - 08h46




INSS deixa de agendar atendimento presencial para pedido de salário-maternidade e aposentadoria
Usuário pode solicitar benefício pelo aplicativo Meu INSS

O Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) deixou de agendar o atendimento presencial para salário-maternidade e aposentadoria por idade na Bahia, e em todo o país, a partir desta segunda-feira (21).

Para ter ateendimento nesses dois caso, o segurado deverá acessar o aplicativo Meu INSS ou ligar para o numero 135 e, em lugar de agendar uma data para ser atendido, receberá direto o número do protocolo de requerimento, eliminando a etapa do agendamento.

"Se as informações estiverem corretas, o benefício é concedido automaticamente", diz a chefe de atendimento do INSS, Lilian Aragão.

Já quem não tem facilidade de acessar a internet ou o aplicativo pode procurar uma agência do INSS para receber instruções de como fazer. "A gente pede a alguém que possa ajudar, como um filho ou neto. Nos casos que a gente verificar que as pessoas não tenham condição, ela não vai deixar de procurar a agência e procurar informações pelo 135. Mas para quem tem acesso, é uma facilidade para que não demore tanto tempo e não aguarde o agendamento", explica Lilian.

O INSS estima que entre 15% a 20% das pessoas que procuram INSS buscam fazer esse tipo de atendimento. Até a semana passada, o segurado precisava agendar uma ida ao INSS para levar documentos e formalizar o pedido.

Com o novo modelo, ao fazer o pedido, a pessoa acompanha o andamento pelo Meu INSS ou pelo telefone 135 e, somente se necessário, será chamado à agência.

Segundo o INSS, com a mudança, não haverá mais falta de vaga e, caso precise ir a uma agência para apresentar algum documento, o cidadão terá a garantia de ser atendido em uma agência perto da sua residência.

 

Fonte - G1